Quer ter mais concentração e melhorar a memória? Veja como!


Todos os nutrientes são importantes e necessários para a memória, mas existem alguns alimentos para contribuir com a capacidade cognitiva de um indivíduo. Igualmente, o cérebro precisa constantemente de nutrientes para manter sua funcionalidade em seu potencial máximo.

O que dizem os estudos?

Alguns estudos mostram que a cognição poder ser afetada por uma dieta inadequada, e entende-se por cognição tudo que diz respeito a memória, atenção, raciocínio, concentração, pensamento e capacidade de aprendizado.

O comprometimento cognitivo tem sido associado ao estresse oxidativo. Nesse contexto entra o consumo de antioxidantes, como vitamina C, zinco, selênio, vitamina Ebeta caroteno (vitamina A) e luteína.

Eles desempenham um papel importante nas atividades cerebrais, pois estão envolvidos na síntese de neurotransmissores como a serotonina, na síntese de novos neurônios e na proteção do tecido nervoso contra o estresse oxidativo.

Alimentação correta pode ajudar?

Os nutrientes citados podem ser encontrados em alimentos, como: gengibre, limão, cenoura, castanha-do-pará, ovos, couve, espinafre, frutas vermelhas, abacate, uva, tomate, chá verde, cúrcuma e outras especiarias.

As vitaminas do Complexo B, como B1, B6, B12 e ácido fólico, são essenciais para o correto funcionamento cerebral e, do mesmo modo, são encontradas principalmente em carnes, leite, ovos, brócolis, couve folha, espinafre, ervilhas, feijões, entre outras.

Em diversos estudos, tanto em crianças como em adultos em países desenvolvidos e em desenvolvimento, observou-se que as deficiências em folato, vitamina B12 ou vitamina B6 estavam associadas a um menor desempenho cognitivo.

Da mesma forma, as gorduras mono e poli-insaturadas, presentes de forma abundante no azeite de oliva extra virgem, nas castanhas, abacate, peixes, semente de linhaça etc. Assim, o consumo desse tipo de gordura é capaz de contribuir, para a integridade da membrana da célula e transmissão de impulsos nervosos.

O ácido DHA, da série Ômega 3 é o principal componente dos fosfolipídios da membrana, especialmente o córtex cerebral, intervindo na síntese de neurotransmissores, trazendo benefícios.

Igualmente, os ácidos graxos saturados, presente em alimentos industrializados e frituras estão associados à deterioração cognitiva e a processos neuro-inflamatórios, o que prejudica a memória e concentração e pode contribuir para o surgimento de doenças crônicas.

O declínio da função cognitiva é responsável por algumas incapacidades que prejudicam a qualidade de vida da população. Portanto, vale a pena apostar nos alimentos certos para preservar a saúde cerebral e auxiliar em nossa capacidade de raciocínio e aprendizado.

Uma alimentação adequada, variada e rica em nutrientes pode melhorar a qualidade de vida e maximizar a funcionalidade cerebral.

 

Tags:
Deixe um comentário

Share This