Quer ter mais concentração e melhorar a memória?

O cérebro precisa constantemente de nutrientes para manter sua funcionalidade em seu potencial máximo. Todos os nutrientes são importantes e necessários, mas existem alguns alimentos específicos que vão contribuir para a capacidade cognitiva de um indivíduo.

Alguns estudos mostram que a cognição poder ser afetada por uma dieta inadequada, e entende-se por cognição tudo que diz respeito a memória, atenção, raciocínio, concentração, pensamento e capacidade de aprendizado.

O comprometimento cognitivo tem sido associado ao estresse oxidativo. Nesse contexto entra o consumo de antioxidantes, como vitamina C, beta caroteno (vitamina A), zinco, selênio, vitamina E, luteína e xavantina.  Eles desempenham um papel importante nas atividades cerebrais, pois estão envolvidos na síntese de neurotransmissores como a serotonina, na síntese de novos neurônios e na proteção do tecido nervoso contra o estresse oxidativo.  

Os nutrientes citados podem ser encontrados em alguns alimentos, a exemplo do gengibre, limão, cenoura, castanha do Pará, ovos, couve, espinafre, frutas vermelhas, abacate, uva, tomate, chá verde, cúrcuma e outras especiarias.

As vitaminas do Complexo B, como B1, B6, B12 e ácido fólico, são essenciais para o correto funcionamento cerebral e são encontradas principalmente em carnes, leite, ovos, brócolis, couve folha, espinafre, ervilhas, feijões, entre outras.

Em diversos estudos, tanto em crianças como em adultos em países desenvolvidos e em desenvolvimento, observou-se que as deficiências em folato, vitamina B12 ou vitamina B6 estavam associadas a um menor desempenho cognitivo.

E ainda as gorduras mono e poli-insaturadas, presentes de forma abundante no azeite de oliva extra virgem, nas castanhas, abacate, peixes, semente de linhaça etc.; compõe a bainha de mielina dos neurônios, e o consumo desse tipo de gordura é capaz de contribuir, para a integridade da membrana da célula e transmissão de impulsos nervosos. O ácido docosahexaenóico DHA, da série Ômega 3 é o principal componente dos fosfolipídios da membrana, especialmente o córtex cerebral, intervindo na síntese de neurotransmissores, trazendo benefícios para memória e concentração.

De forma contrária, os ácidos graxos saturados elevados, ou seja, uma alimentação rica em gordura saturada, presente em alimentos industrializados e frituras estão associados à deterioração cognitiva e a processos neuro-inflamatórios, o que prejudica a memória e concentração e pode contribuir para o surgimento de doenças crônicas.

O declínio da função cognitiva é responsável por algumas incapacidades que prejudicam a qualidade de vida da população. Portanto, vale a pena apostar nos alimentos certos para preservar a saúde cerebral e consequentemente auxiliar em nossa capacidade de raciocínio e aprendizado. Uma alimentação adequada, variada e rica em nutrientes pode melhorar a qualidade de vida e maximizar a funcionalidade cerebral.

 

Share: